27°
Chapadão do Sul.MS
20 de Agosto de 2019
 
07/08/2019 às 16h24

CREAS Ipê divulga relatório dos serviços prestados no 1º semestre de 2019

 

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social - CREAS Ipê é um órgão público da Política de Assistência Social, cuja obrigatoriedade é ofertar atendimento especializado às famílias e indivíduos que tiveram seus direitos violados ou se encontram em situação de risco social, através do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI) e também pode executar serviços de Abordagem Social por meio de busca ativa ou demanda espontânea,  de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto (MSE) de liberdade assistida (LA) e/ou prestação de serviço à comunidade (PSC) e ainda para pessoas com Deficiência e pessoas Idosas juntamente com suas famílias, orientação jurídica  e outras informações e encaminhamentos, configurando um equipamento que oferta serviços de Proteção Social Especial de Média Complexidade e no caso da unidade em questão, comporta uma equipe técnica de Alta Complexidade que realiza os serviços referentes como intervenções para acolhimento institucional de crianças, adolescentes e idosos e todas as articulações e mobilizações necessárias para encaminhamentos e acompanhamentos do público atendido.

O CREAS Ipê dedica-se em executar seus serviços com qualidade, desde o momento da acolhida dessas famílias e/ou indivíduos até o momento do desligamento, tendo em seu quadro funcional profissionais comprometidos que desenvolvem suas atividades com muita responsabilidade e ética profissional, com centralidade na família, estimulando e valorizando a autonomia da mesma bem como de seus membros nos processos de construção de suas trajetórias e projetos de vida.

O público atendido pelo CREAS é composto por famílias e indivíduos em situação de risco pessoal, social e violação de direitos decorrentes de situações como: trabalho infantil; afastamento do convívio familiar devido à aplicação de medida socioeducativa ou medida de proteção; violência sexual; abandono; violência física, psicológica e negligência; situação de rua e mendicância; tráfico de pessoas; discriminação em decorrência da orientação sexual, raça/etnia; descumprimento de condicionalidades do Programa Bolsa Família, entre outras violações de direitos que provocam prejuízos nas condições de vida do indivíduo, assim como no convívio familiar.

As principais ações/atividades realizadas pelas técnicas de referência deste órgão são: acolhida; escuta; estudo social; orientação e encaminhamento para a rede de serviços locais; elaboração de plano individual e/ou familiar de atendimento; orientação sócio familiar; atendimento psicossocial;  orientação jurídico-social; referência e contrarreferência; informação e apoio à família na sua função protetiva; acesso à documentação pessoal; mobilização e articulação com a rede de serviços socioassistenciais; articulação com os serviços de outras políticas setoriais; articulação interinstitucional com os  órgãos do Sistema de Garantia de Direitos; participação em audiências concentradas; mobilização para o exercício da cidadania; trabalho interdisciplinar; elaboração de relatórios e/ou prontuários; estímulo ao convívio familiar, entre outros.

O CREAS realiza também grupos de atendimento formados por: crianças, adolescentes, pais, adolescentes em cumprimento de MSE em meio aberto e mulheres vítimas de violência doméstica.

Quanto ao serviço de abordagem social é feita uma triagem com os usuários da Política de Assistência Social desta demanda e de acordo com a necessidade e perfil desses usuários e seguindo os critérios estabelecidos pelo município em conformidade com a legislação vigente que embasa o Sistema Único de Assistência Social – SUAS, pode ser concedido passagem para os municípios mais próximos através da empresa de ônibus licitada, auxílio alimentação (marmitex), kit higiene, cobertor, contato ou tentativa de contato com os familiares desses usuários com intuito de reestabelecer os vínculos fragilizados ou rompidos e no caso de dependentes de álcool e/ou substâncias psicoativas há um trabalho em rede para a tentativa de internação para tratamento.

Vale ressaltar que vários usuários contemplados com esses benefícios acabam trocando-os por bebidas, drogas ou vendendo-os para suprirem o vício e isso infelizmente ainda não é possível de monitorar.

Já em relação ao atendimento às vítimas de violência doméstica, após a acolhida e escuta, pode-se conceder auxílio alimentação e hospedagem em hotel licitado nos casos em que as vítimas estão sob risco de morte e não convivem mais com os agressores, além do trabalho psicossocial de acompanhamento às mesmas, o qual se estende às vítimas e agressores que continuam convivendo maritalmente por escolha própria.

O serviço social no município vem se aperfeiçoando gradativamente e tenta acompanhar as orientações propostas pelo Ministério da Cidadania através do SUAS.

O equipamento funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 17h, localiza-se na Av. Oito, nº 1705, telefone 3562 - 1354.

O telefone de plantão é 98466-5381.

 

Dados referentes ao período de JANEIRO a JUNHO de 2019

CREAS IPÊ

 

Atendimentos CREAS - PAEFI

Número de famílias em acompanhamento pelo PAEFI: 199.

Número de atendimentos psicossociais: 1.035.

Número de crianças e adolescentes em situação de violência (física, psicológica, abuso sexual, exploração sexual, negligência, abandono e trabalho infantil): 34.

Número de idosos vítimas de violência (física, psicológica, sexual, negligência e abandono): 04.

Número de vítimas de violência doméstica: 71.

 

Pessoas em situação de rua:

Número de pessoas abordadas: 171.

Volume de vezes de abordagens: 194.

Número de pessoas usuários de drogas ilícitas: 26.

Número de pessoas em situação de trânsito: 145.

Número de passagens concedidas: 54.

Número de auxílio alimentação (marmitex) concedidos: 321.

 

Medidas Socioeducativas em meio aberto:

Número de adolescentes em cumprimento de LA e/ou PSC: 35.

Tag3 - Desenvolvimento Digital